recordando a MPB

História da MPB com biografias, cronologia dos sucessos e músicas cifradas.

  • Postagens

    março 2006
    S T Q Q S S D
    « fev   abr »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Arquivos

  • Cifrantiga Fotos

    Vanja Orico: Ela tem Sangue Índio

    O cantor das Graças de Iemanjá

    Mary Gonçalves: Ela ama a vida e é amada por todos ...

    Esther de Abreu, o Rouxinol de Coimbra

    Neusa Maria, a Rainha do Jingle

    Nora Ney, a Iracema da Voz de Mel

    Carmélia Alves, a Rainha do Baião

    Adelaide Chiozzo provoca desastres ...

    Ângela Maria, a Revelação de 1952

    Zé da Conceição

    Mais fotos

>Gondoleiro do amor

Posted by everbc em 23/03/2006

>

A paixão concreta e ardente pela atriz portuguesa Eugênia Câmara influenciou o poeta Castro Alves em sua visão poética do amor. Essa visão pode ser classificada não só como sentimental, mas também como sensual, entendida como uma poesia que apela aos sentidos (sensorial). É desse período o poema O Gondoleiro do Amor, em que a descrição da amada é carregada de uma sensualidade sem precedentes no Romantismo brasileiro.

Inspirado por Eugênia, Castro Alves escreveu seus mais belos poemas de esperança, euforia, desespero e saudade, como É Tarde. Pela primeira vez, a poesia é motivada pela paixão e pelo envolvimento amoroso, e a dor não se traduz em lamentos e queixas. Seu sentimentalismo amoroso é maduro, adulto e se realiza em sua plenitude carnal e emocional.

http://res0.esnips.com/escentral/images/widgets/flash/guitar_test.swf
Vicente Celestino

Gondoleiro do Amor (valsa-canção, 1866) – Castro Alves e Salvador Fábregas

D———— A7———– D———— —A7——— D D7
Teus olhos são negros, negros, como as noites sem luar…
G——– E7———– A7—— D——— A7——– D D7
São ardentes, são profundos, como o negrume do mar…
G——– B7——— Em ——–A7———- D
Sobre o barco dos amores, da vida boiando à flor,
G———- E7 ——-A7——– D——- A7—– D
doiram teus olhos a fronte do Gondoleiro do amor…
—-A7————- D———– A7————- D
Tua voz é a cavatina dos palácios do Sorrento.

—–G——– E7 ———-A7——– D ——A7——— D D7
Quando a praia beija a vaga, quando a vaga beija o vento.
—–G———B7——- Em ———A7 ———–D D7
E como em noites de Itália, ama um canto o pescador
—–G ——–E7 ————-A7 ——-D—— A7—– D A7
Bebe a harmonia em teus cantos o Gondoleiro do Amor.

—–D———– A7——– D—— A7—- D—- A7—- D D7
Teu amor na treva é um astro, no silêncio, uma canção
G—- E7———- A7——- D—- A7—- D D7
É brisa nas calmarias, é abrigo no tufão
—–G ———-B7—– Em———- A7————– D D7
Por isso eu te amo, querida, quer no prazer, quer na dor.
—–G —-E7 —–A7—— D———– A7———– D
Rosa! Canto! Sombra! Estrela! Do Gondoleiro do Amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: