recordando a MPB

História da MPB com biografias, cronologia dos sucessos e músicas cifradas.

  • Postagens

    abril 2010
    S T Q Q S S D
    « fev   fev »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930  
  • Categorias

  • Arquivos

  • Cifrantiga Fotos

    Vanja Orico: Ela tem Sangue Índio

    O cantor das Graças de Iemanjá

    Mary Gonçalves: Ela ama a vida e é amada por todos ...

    Esther de Abreu, o Rouxinol de Coimbra

    Neusa Maria, a Rainha do Jingle

    Nora Ney, a Iracema da Voz de Mel

    Carmélia Alves, a Rainha do Baião

    Adelaide Chiozzo provoca desastres ...

    Ângela Maria, a Revelação de 1952

    Zé da Conceição

    Mais fotos

Edgar Ferreira

Posted by everbc em 13/04/2010

Edgar Ferreira (Edgar Monteiro Ferreira, 07/04/1922 – 19/12/1995, Recife, PE), compositor, foi um dos fundadores do primeiro sindicato da indústria metalúrgica de material elétrico da cidade do Recife. Trabalhou na Fábrica Mazarazzo de onde foi demitido em 1941 por participar de uma greve. Passou a sobreviver vendendo livros de cordel com composições suas no Largo da Paz, em Recife.

Quando adolescente, fundou a Escola de Samba Turma Brasileira. Destacou-se como compositor tendo diversas músicas gravadas com sucesso por Jackson do Pandeiro, entre as quais Forró em Limoeiro, gravada em 1953, grande sucesso daquele ano, e Um a um no ano seguinte.

Suas composições foram também gravadas por inúmeros outros intérpretes, entre os quais, Carlos Galhardo, Joel de Almeida, Luiz Wanderley, Beth Carvalho, Martinho da Vila, Gilberto Gil, João Bosco, Genival Lacerda, Cascabulho, Zé Ramalho e Paralamas do Sucesso.

Em 1955, Alzirinha Camargo gravou o rojão Show no Maracanã. Nesse ano, fez grande sucesso no carnaval com o samba Vou gargalhar, gravado por Jackson do Pandeiro. Em 1959, Ari Lobo gravou o rojão O criador, e em 1961, Recife sangrento. No ano seguinte, Altamiro Carrilho e sua Bandinha regravaram Forró em Limoeiro. Ainda com Jackson do Pandeiro teve gravadas o xote Cremilda. Em 1967, foi premiado pela trilha sonora da peça O Rei da vela, de Oswald de Andrade. Em 1983, a mesma peça foi levada para o cinema e ele ganhou um Kikito de ouro no festival de gramados pela trilha sonora, ambas as versões dirigidas por José Celso Martinez.

Em 1999, Carmélia Alves regravou seu coco Um a um. Em 2000, sua composição Ele disse, composta em homenagem ao ex-presidente da República Getúlio Vargas, foi regravada pelo cantor Zé Ramalho no CD duplo Nação Nordestina. No mesmo ano, o cantor pernambucano Claudionor Germano gravou A dor de uma saudade. Também na mesma época, o coco Forró em Limoeiro foi regravado pelo Trio Nordestino no CD Trio Nordestino – Xodó do Brasil que marcou o retorno do trio.

É, até hoje, considerado um dos maiores compositores de Pernambuco nos anos 1950 e 1960. Foi considerado um dos criadores do rojão, ritmo muito próximo do coco.

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: