recordando a MPB

História da MPB com biografias, cronologia dos sucessos e músicas cifradas.

  • Postagens

    setembro 2017
    S T Q Q S S D
    « maio    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930  
  • Categorias

  • Arquivos

  • Cifrantiga Fotos

Archive for the ‘letra’ Category

>Eu quero é botar meu bloco na rua

Posted by everbc em 02/08/2007

>

Quem freqüentou nos anos setenta e oitenta a noite do Baixo Leblon, na Zona Sul carioca, em especial bares como o Jobi, o Gatão, o Luna e o Diagonal, redutos de artistas e intelectuais boêmios, há de ter cruzado muitas vezes e prestado a atenção na figura exótica do cantor e compositor “maldito” Sérgio Sampaio. Isso porque, com seu porte magérrimo, seu cabelão comprido e seu comportamento bizarro, sempre bebendo, cantando ou gargalhando com espalhafato, ele jamais poderia passar despercebido ao mais distraído habitué do lugar.
Sérgio deixou várias composições, mas, somente um grande sucesso, “Eu Quero É Botar Meu Bloco na Rua”, finalista do VII FIC e que é uma espécie de marcha-rancho, confessional (“Há quem diga / que eu fugi da raia / que eu morri de medo / quando o pau quebrou”), que culmina num vibrante estribilho: “Eu quero é botar meu bloco na rua / brincar, botar pra ferver / eu quero é botar meu bloco na rua / gingar, pra dar e vender.”
Tais características a incluem entre as boas canções de protesto da época, embora o autor não tenha chegado a ser um especialista do gênero. Primo do também cantor e compositor Raul Sampaio, Sérgio morreu em 1994, aos 47 anos, tendo gravado quatro elepês (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Eu quero é botar meu bloco na rua (1972) – Sérgio Sampaio

A7       Dm                  C
Há quem diga que eu dormi de touca
Bb A7
Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga
Gm Dm7
Que eu caí do galho e que não vi saída
E7 A7
Que eu morri de medo quando o pau quebrou

Dm7 C
Há quem diga que eu não sei de nada
Bb A7
Que eu não sou de nada e não peço desculpas
Gm Dm7
Que eu não tenho culpa, mas que eu dei bobeira
E7 A7
E que Durango Kid quase me pegou

Eu, por mim, queria isso e aquilo
Um quilo mais daquilo, um grilo menos disso
É disso que eu preciso ou não é nada disso
Eu quero todo mundo nesse carnaval...

Dm7 C
Eu quero é botar meu bloco na rua BIS
Bb A7
Gingar, pra dar e vender
Anúncios

Posted in letra, sergio sampaio | Leave a Comment »

>Deixa isso pra lá

Posted by everbc em 22/07/2007

>

O samba “Deixa Isso pra Lá”, que tornou conhecido Jair Rodrigues, tem apenas uma metade cantada, sendo a outra falada. Por isso era “música para ser vista”, pois ao recitar sua primeira parte — “Deixa que digam / que pensem / que falem / deixa isso pra lá / vem pra cá / o que é que tem / eu não estou fazendo nada / você também…” — Jair aproximava-se da platéia gingando e gesticulando com a mão direita espalmada. Esta encenação, um tanto maliciosa, foi a razão do sucesso.
Musicalmente inexpressivo, “Deixa Isso pra Lá” é, pode-se dizer, um rap precursor em ritmo de samba (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Deixa isso pra lá (samba, 1964) – Alberto Paz e Edson Menezes

Deixa que digam
Que pensem
Que falem

Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que que tem
Eu não estou fazendo nada
Você tambem
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém ?

Vai, vai, por mim
Balanço de amor, é assim
Mãozinhas com mãozinhas pra lá
Beijinhos com beijinhos pra cá

Vem balançar
Amor é balanceiro meu bem
Só vai no meu balanço que tem
Carinho pra dar

Posted in alberto paz, cronologia da mpb, edson menezes, jair rodrigues, letra | Leave a Comment »

>Índio quer apito

Posted by everbc em 20/07/2007

>Inspirado em uma anedota irreverente, meio escatológica, Haroldo Lobo escreveu a marcha “Índio Quer Apito”: “Ê ê ê ê / índio quer apito / se não der / pau vai comer…” Como a anedota era muito conhecida e se referia a um político famoso, “Índio Quer Apito” fez sucesso e acabou entrando para o rol das marchinhas que são repetidas em todos os bailes de carnaval. Bom conhecedor do gosto popular, Haroldo tinha a capacidade de transformar em músicas de sucesso fatos do cotidiano brasileiro, reinando por quase trinta anos como compositor carnavalesco.
http://www.escutaisso.com.br/wp-content/plugins/podpress/players/player_embed.swf
Índio quer apito (marcha/carnaval, 1961) – Haroldo Lobo e Milton de Oliveira

Ê ê ê ê ê índio quer apito
Se não der pau vai comer

Lá no bananal mulher de branco
Levou pra pra índio colar esquisito
Índio viu presente mais bonito
Eu não quer colar
Índio quer apito

Posted in carnaval, haroldo lobo, letra | Leave a Comment »